© Instituto MAPADEVA 2017. Todos os direitos reservados.

Com Ahimsa, primeiro preceito ético dos Yamas, damos início ao estudo do Asthanga Yoga de Patânjali! 

 

 

Ahimsa é uma das metas que o indivíduo inevitavelmente conquistará no seu tempo. Tudo vai depender do seu esforço, determinação e perseverança, frente aos desafios da vida, para não ceder aos impulsos primários, e sim fortalecer-se na intenção de domar os seus vícios, os seus condicionamentos, e assim, despertar o seu verdadeiro Ser, que é espiritual e não violento. 

 

Todos podem se corrigir, é necessário querer e exercitar novas atitudes em si e com o outro.

 

Através da prática, cria-se novos e saudáveis hábitos, que surtirão efeitos no interior, na mente e no corpo de cada praticante. E para isso, nessa trajetória, sendo adepto de crença religiosidade ou não, fica uma sugestão caso o bom ânimo lhe falte em alguma circunstância: conecte o seu coração, com a energia superior, seja  a natureza ou um mestre, como sentir no seu interior, e rogue o auxílio necessário para continuar a caminhada em prática, sem olhar a quem e sem esperar resultados ou reconhecimento, e segue. Nesse movimento acontece a nutrição necessária para prosseguir.


A conquista essencial é sutil! Com Ahimsa em ação, a essência divina do verdadeiro Ser florescerá e potencializará! Mudanças serão geradas na vida daquele que se esforça, e também na sociedade a qual faz parte. O indivíduo é parte do todo, e quando age, seja como for, interfere no meio. Com Ahimsa coopere na semeadura do bem!
 
Os conhecimentos trazidos há milênios pelo Yoga, um dos métodos que a humanidade tem em suas mãos, para a autotransformação da singela casa que é a alma, e cooperação na casa que lhe acolhe, que é a Terra, auxiliarão no despertar da consciência para o seu verdadeiro Ser e para muitas possibilidades de atuação, que no processo de auto melhoria, e cuidado integral da saúde, o indivíduo deve ser agentes diretos, protagonistas, e não pacientes ou espectadores.

 

 
Vamos praticar?

  • Como praticar Ahimsa? Através da prática dos bons pensamentos, boas palavras e ações. 

  • Com quem e onde praticar Ahimsa? Com todas as manifestações de vida, e isso inclui a si mesmo. A prática deve ser  em todas as situações.

 

Frente a uma situação, seja qual for, o indivíduo capta o fato através dos sentidos, faz uma interpretação, e se envolve reagindo a ele, com isso surgem emoções, que vão gerar sentimentos e  impulsionar uma reação. A reação ocorre de acordo com a forma que o mesmo percebe o mundo, e como tem agido na vida, e assim se condicionado.

 

Muitas vezes deixa levar-se por atitude material e anti fraterna, pela cólera, pelo orgulho ferido, pela raiva, pela vaidade, pelo aborrecimento, pela irritação, pela falta de controle sobre as situações, e reage com violência.  A ação que é consequência dos julgamentos, dos pensamentos, reflete em palavras e posturas, e faz criar o hábito, o caráter e o destino, e como consequências das escolhas inferiores surgem a dor na alma, na mente e no físico, manifestando-se em tristeza, mágoa, angústia, ansiedade, intolerância, depressão, síndrome do pânico, e outras enfermidades também no corpo físico. Ocorrem desajustes no todo, na alma, no orgânico, na mente, no campo energético, com que age e, com quem sofre a ação, e com o planeta que é a casa de todos, e recebe a sintonia gerada.  


Os yamas norteiam a prática do autocontrole frente aos impulsos destrutivos, e geram equilíbrio a todos os envolvidos. Experimente Ahimsa em você, e com os outros. Naturalmente sentirá benefícios da ação fraterna por mover-se no caminho do bem!


“Corrigirás o mal com o bem,  afastarás a agressão com a paciência, extinguirás o ódio com o amor, desfarás a condenação com a benção”. (Chico Xavier)

 

“Bem Aventurados os que são brandos e pacíficos”. Essa reflexão trazida por Jesus traduz-se em um estado de boa aventurança, de felicidade de dentro pra fora, conquistado por aqueles que se esforçam junto aos testes da vida, com brandura, mansuetude, serenidade, calma e paz, não cedendo às “provocações, contratações", ou como melhor desejar chamar os fatos quando não  acontecem do jeito que se quer ou imagina. Isso é o ego se manifestando no seu egoísmo e orgulho! Com Ahimsa, movimenta-se o perdão, a paciência, a compreensão, a compaixão, a solidariedade, consigo e com o próximo. Assim as virtudes, a centelha divina que fazem morada dentro de cada ser, estarão sendo trabalhadas e impulsionadas a se manifestarem. Desperte-as colocando o amor em movimento.  


Ser manso, não é ser covarde, omisso, e sim estar desperto para o verdadeiro motivo em estar na Terra, para a evolução, para o progresso espiritual, individual e do próximo. Nesse caminho também se interfere positivamente na mudança que se deseja no mundo,  mas primeiro deve se iniciar em si próprio. A ação modificada deixa sementes, exemplos capazes de inspirar o próximo a agir com uma conduta ética também.


Não é fácil, mas é possível, e há muitos exemplos a se inspirar na humanidade, como Jesus, Buda, Francisco de Assis, Gandhi, Madre Teresa de Calcutá, Chico Xavier, Nelson Mandela e outros.


Não espere que o mundo do lado de fora silencie para você caminhar de volta para casa, despertar e testemunhar o seu verdadeiro Ser, que é paz! Você é responsável por aquilo que faz, e não pelo o que o outro faz.

 

A cólera apresenta dez negativas complexas que induzem a melhor das criaturas à pior das frustrações.  

                                 
1 — Não resolve. Agrava. 
2 — Não resgata. Complica. 
3 — Não ilumina. Escurece.
4 — Não reúne. Separa. 
5 — Não ajuda. Prejudica. 
6 — Não equilibra. Desajusta.
7 — Não reconforta. Envenena. 
8 — Não favorece. Dificulta. 
9 — Não abençoa. Maldiz.
10 — Não edifica. Destrói.


Evite a cólera como quem foge ao contato destruidor de alta tensão.
Mas se você amanhece de mau humor, antes que o flagelo se instale de todo na sua cabeça e na sua voz, comece o dia rogando à Divina Bondade o socorro providencial de uma laringite.”  (Chico Xavier)
 

 

A cada momento presente, exercite Ahimsa!

 

Aqui e Agora, aproveite, para dar voz e experimentar o que de melhor existe no interior, frente aos desafios da vida, como já dizemos, oportunidades no caminho para a auto melhoria.


Em todos os instantes surge esse convite, e como está sendo aproveitado por você? Está acolhendo ou desperdiçando?  Faça uma autorreflexão, ouvindo sinceramente o seu íntimo: Como estou agindo? Porque estou reagindo dessa forma se já sei a escolha que me direciona a paz? Agir assim me faz bem? Fico calmo? Deito no travesseiro com a consciência tranquila, em paz? Yoga é um caminho para o autoconhecimento!  Faça um diálogo interno fraterno, a conhecer-te a ti mesmo. Faça a sua parte e segue! Faça mais uma vez a sua parte e segue! Faça quantas vezes forem necessárias, e segue!
Com Ahimsa não quer dizer que mais desafios não surgirão, e sim que, com reflexão em informações, como as citadas acima, agora você pode substituir a terminologia desafio por oportunidade, e aproveitá-las fazendo o seu melhor.

 

A reflexão de todos os ensinamentos acima e de como tem agido, é essencial no processo de mudança, e nessa intenção, é importante que se perceba integralmente. 
Observe tudo que acontece com você. Faça isso como se fosse um cientista, e também o laboratório:
 
Perceba se está zangado(a): 

  • Identifique o que está dentro de você e reconheça o que é. É raiva!? Sim/Não.

  • Tome consciência de tudo que acontece e observe sem se identificar, sem se envolver com nada, sem racionalizar: como estão os pensamentos, as emoções, os sentimentos, as sensações do corpo físico, o interior, sua respiração.

  • Por alguns momentos respire com consciência, ou seja, com atenção no ar que entra e que sai pelas narinas, de preferência, ou da forma que for mais confortável pra você. Aos poucos você vai se desligar dos pensamentos do passado e/ou futuro. Vai se conectar com o seu interior e perceber, sentir a vida de dentro pra fora; e

  • Assim ao exercitar a arte de respirar com consciência,  desliga-se o piloto automático, um espaço interno se abre, conquista o estado de presença, de não pensamento, e é nesse estado, que sente-se a quietude e a calma para fazer as escolhas conscientes.

Como CONSEQUÊNCIA da calma interior acessada com a prática de Ahimsa (Yoga), nesse processo de autoconhecimento, harmoniza-se a mente, o corpo, e as decisões são realizadas com mais consciência, discernimento, conhecimento e sob a  influência da sabedoria divina. 

 
 

“O seu hoje representa as ações antes realizadas, 
e o seu amanhã defluirá das suas atividades hoje desenvolvidas” (Divaldo Franco)
  

“Não existe um caminho para a paz. A paz é o caminho” (Gandhi)


A paz é a base e o caminho para a felicidade! 
Ahimsa é antídoto das dores e remédio que as ameniza!  


“Amarás ao teu próximo como a ti mesmo!" (Jesus)


Boa prática de Yoga no momento presente, com Ahimsa.

Namastê!

 

Thalita Dias, Professora de Yoga do Instituto MAPADEVA

Compartilhe no Facebook
Compartilhe no LinkedIn
Please reload

Posts Em Destaque

Satya: viva a verdade, e se liberte!

11/07/2018

1/5
Please reload

Posts Recentes